Tudo Bahia
Portal de Notícias

Vencedor do Nobel de Economia diz que aumento do salário mínimo não afeta empregos

Na década de 90, David Card começou a analisar a relação entre piso salarial e disponibilidade de empregos em restaurantes de fast-food de Nova Jersey.

Neste ano, um dos ganhadores do Prêmio Nobel de Economia foi o canadense David Card, professor da Universidade da Califórnia. Ele recebeu a premiação devido a sua contribuição empírica para a economia do trabalho.

As pesquisas foram conduzidas em parceria com o professor de economia da Ford no Massachusetts Institute of Technology, Joshua D. Agrist e Imbens Angrist, professor de economia na Stanford Graduate School of Business. Os resultados das pesquisas explicaram as relações entre causa e efeito em grandes questões sociais.

Ainda na década de 90, os economistas começaram a analisar a relação entre piso salarial e disponibilidade de empregos em restaurantes de fast-food no estado de Nova Jersey. Ao longo da investigação, eles constataram que o aumento do salário mínimo não reduz a oferta de empregos.

O resultado, na verdade, apresentou a constatação contrária: que o aumento de salário mínimo no Estado contribuiu para impulsionar o crescimento das ofertas de emprego em restaurantes de fast-food. Além disso, a pesquisa também apurou o fator de imigração e a conclusão foi que o impacto econômico é mínimo.

Ainda considerando esse ponto, o estudo apontou que poucas pessoas que imigram para os Estados Unidos sem concluir o ensino médio conseguem obter salários iguais ao dos residentes nativos. Contudo, os filhos desses imigrantes que nascem em terras estadunidenses conseguem obter rendimentos suficientes para auxiliar e compensar a falta do poder aquisitivo de seus pais.

Em entrevista ao New York Times a respeito do impacto da imigração na economia, David Card declarou que os argumentos econômicos usados contra a imigração são de segunda ordem e praticamente irrelevantes.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais