Tudo Bahia
Portal de Notícias

Vacina contra COVID-19 pode ficar pronta até o fim do ano, diz OMS

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou, na última terça-feira 6 de outubro, estar com esperança para que a vacina contra a COVID-19 esteja pronta até o fim de 2020. Tedros ainda pediu por solidariedade dos líderes mundiais para que a imunização seja distribuída igualmente por todo o globo terrestre. 

“Vamos precisar de vacinas e há esperanças que possamos ter uma vacina até o final deste ano. Há esperança”, afirmou o diretor da OMS em seu discurso de fechamento do Conselho Executivo da OMS, que durou dois dias. 

Corrida das vacinas contra COVID-19

A estadunidense Pfizer em parceria com a alemã BioNTech parecem estar bem na corrida das vacinas contra COVID-19. A Agência Europeia de Medicamentos, órgão regulador da União Europeia, lançou uma análise em tempo real do composto desenvolvido pelas empresas.

Semana passada, a vacina desenvolvida pelo conglomerado farmacêutico britânico AstraZeneca recebeu o mesma medida do órgão. Com a providência, o processo de aceitação das vacinas pode ser mais rápido. 

Cerca de 168 países estão juntos na iniciativa global Covax que pretende distribuir 2 bilhões de vacinas até o fim do ano que vem. Gigantes como EUA, Rússia e China não fazem parte da iniciativa.

Para o diretor da OMS, o compromisso mais importante agora é o da distribuição igualitária. Precisamos uns dos outros, precisamos de solidariedade e precisamos usar toda energia que temos para combater o vírus”, declarou.

Coronavac: a parceria China e Brasil

Criada pelo laboratório chinês Sinovac, no Brasil a Coronavac terá sua distribuição e fabricação feita pelo Instituto Butantan, parceiro do projeto que está em fase de testes no Brasil pelos próximos 30 dias.

Depois desse período, os pesquisadores farão mais análises sobre a vacina e se não houverem efeitos colaterais importantes, nos mais de 13 mil voluntários, o governo de São Paulo espera começar a vacinar sua população no dia 15 de dezembro de 2020.

A previsão é de que toda a população paulista seja vacinada até o fim de março de 2021. A vacina será aplicada em duas doses, com 14 dias de intervalo entre elas. Os primeiros a serem vacinados serão os profissionais da área da saúde.

O investimento previsto na transferência de tecnologia, feita da China para o Brasil, é de 90 milhões de dólares, cerca de 500 milhões de reais. Parte dessa verba é da iniciativa privada, e mais da metade deve ser custeada pelo Ministério da Saúde. Porém, o repasse ainda não foi feito e o governo de São Paulo teme que a verba federal não seja transferida.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais