Tudo Bahia
Portal de Notícias

Vinho produzido na Chapada Diamantina é premiado nacionalmente

O vinho produzido na Chapada Diamantina, no estado da Bahia, ganhou a 9ª edição da Grande Prova Vinhos do Brasil (GPVB) e a 4ª edição da Grande Prova Sucos de Uva do Brasil.

A vinícola baiana Vaz recebeu premiação na categoria de vinhos, com o Tinto Malbec. Já nos rótulos de espumantes, os premiados foram o Brut Branco Charmat e o Brut Rosé Charmat, ambos de 2019.

Os primeiros vinhos da vinícola baiana Vaz foram elaborados em 2018, em uma produção de aproximadamente 1,2 mil garrafas (Malbec, Syrah, Sauvignon Blanc e Viognier). Já na safra de 2019, foram produzidos os espumantes Brut elaborados pelo método Charmat (Pinot Noir e Chardonnay), Brut Rosé (Malbec, Sauvignon Blanc e Viognier), Moscatel (Muscat Petit Grain).

Além disso, também foram produzidos os vinhos tintos Malbec e Syrah, em um total de cerca de 10 mil garrafas. Os dados foram informados pelo empresário Jairo Pinto Vaz, proprietário da vinícola.

Vinho é produzido na Chapada Diamantina há apenas quatro anos

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE) comemorou a premiação e apontou que a localização estratégica, o clima, a qualidade da água e o potencial frutífero são fatores responsáveis pela qualidade dos produtos do segmento de bebidas na Bahia.

O empresário Jairo Pinto Vaz comemora o sucesso dos produtos, com tão pouco tempo de atividade. “A nossa pequena vinícola é muita nova, os vinhedos têm apenas 4 anos e, diría, estamos ainda engatinhando no complexo mundo dos vinhos. A premiação do Vinho Tinto Malbec e do Espumante Brut Branco na Grande Prova de Vinhos Brasileiros 2020, classificados com 88 pontos com a medalha ‘Good Wine’, traz o incentivo e o reconhecimento de um persistente trabalho, feito com muito carinho, realizando o sonho de se produzir vinhos e espumantes de qualidade na Chapada Diamantina e, colocando, definitivamente, esta região como um novo polo vitivinícola brasileiro”, celebra.

Em razão da pandemia do novo coronavírus, a celebração da conquista será em abril de 2021, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Na oportunidade, a GPVB levará os vinhos premiados e a vinícola ao encontro do trade e público consumidor. O evento, com feira de vinhos, chama-se “Vinhos do Brasil 2021”.

Morro do Chapéu e a produção de vinhos

Por meio de estudos e experimentos, evidenciou-se que na cidade de Morro do Chapéu havia condições ideais de clima e solo para a produção de frutas como uva, abacaxi, maçã, tomate cereja e morango.

Sendo assim, o plantio das uvas começou em 2010, a partir de uma parceria entre produtores, prefeitura, governo estadual e a União das Cooperativas da Região de Champanhe, na França. O investimento inicial foi de R$ 350 mil.

As condições climáticas e de altitude (1.200 m acima do mar) são ideais para uvas de boa qualidade. A região recebe duas vezes mais chuva que Petrolina e Juazeiro, principal polo vinícola do Nordeste.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais