Tudo Bahia
Portal de Notícias

Isolamento Social no Brasil tem piores indicadores da América Latina

Dados preocupantes quanto ao isolamento social no Brasil foram divulgados. As informações, tendo como base o deslocamento de celulares para descobrir como está a mobilidade da população, apontaram que brasileiros têm menor adesão às medidas de distanciamento social comparado aos demais países da América Latina.

Os dados foram analisados pelo Google e, por meio de seis indicadores, o Brasil aparece sempre nas últimas colocações em comparação aos demais países do continente sul-americano.

Por exemplo, alguns dados podem servir de parâmetro para as informações:

  • Transporte público – enquanto o Brasil apresenta uma queda de 52 % na procura (a mais baixa da região), a Argentina apresenta redução de 67%;
  • Deslocamento para farmácias e mercados é o mais alto da América Latina, apresentando redução de apenas 5%, enquanto a Bolívia teve queda 13 vezes maior;
  • Permanência nas residências aumentou 16% no Brasil, sendo a segunda taxa mais baixa da região, a Argentina apresentou crescimento de 27%.

Importância do isolamento social

Em meio a uma pandemia, o isolamento social é apresentado como uma medida de extrema importância para prevenir o contágio e diminuir a propagação da doença.

Quem está com os sintomas da doença e se mantém em isolamento evita que o vírus prolifere. Quem está saudável evita contrair a doença.

Por isso, para quem tem a possibilidade de ficar em casa, isso é recomendado, principalmente, àqueles que estão incluídos nos grupos de risco.

O isolamento é recomendado para que não haja uma contaminação geral e, com isso, superlote as unidades de saúde. Devemos analisar que, além da pandemia, acidentes continuam acontecendo e a incidência de demais doenças. Se houver uma sobrecarga do Sistema Único de Saúde, isso pode custar ainda mais vidas.

Além de manter o isolamento, é importante adotar as medidas de higiene: lavar muito bem as mãos ao longo do dia, fazer uso de álcool em gel e o uso de máscaras.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais