Tudo Bahia
Portal de Notícias

Doença infantil rara pode estar ligada à COVID-19

A cidade de Nova York registrou três mortes de doença infantil rara. A suspeita é que o quadro de Síndrome Inflamatórias de Kawasaki tenha relação com o novo coronavírus.

A cidade de Nova York já registrou 73 casos de crianças com reação tóxica, por complicações inflamatórias, que podem ter relação com a COVID-19. Essa doença infantil rara já vitimou três crianças na cidade.

O Sistema de Saúde do Reino Unido também emitiu alerta para algo parecido, já que notaram um aumento no número de crianças com inflamação multissistêmica, com o desenvolvimento de problemas gastrointestinais e inflamação cardíaca.

A suspeita, em ambos os lugares, é de uma provável ligação do novo coronavírus com um quadro de Síndrome Inflamatórias de Kawasaki atípico e da síndrome do choque tóxico, conforme publicação no jornal Hospital Pediatrics da American Academy of Pediatrics em seu artigo “COVID-19 and Kawasaki Disease: Novel Virus and Novel Case

A doença de Kawasaki é uma doença infantil rara que causa inflamação nas paredes dos vasos sanguíneos que pode fazer com que o sistema imunológico entre em uma espécie de colapso. Os sintomas incluem febre, vermelhidão nos olhos, erupções cutâneas e glândulas inchadas no pescoço. Crianças menores de 5 anos correm maior risco. Nos casos mais graves pode haver alteração do fluxo sanguíneo, levando à morte.

O primeiro falecimento na cidade de NY foi de um menino de cinco ano, na primeira semana de maio de 2020. As duas outras vítimas são um adolescente e uma menina de sete anos. Por isso, as autoridades de saúde já estão em alerta para outras crianças em estado grave com sintomas que batem com as especificadas para a doença de Kawasaki .

As informações alertam que muitas das crianças que vêm desenvolvendo esses quadros não apresentam nenhum tipo de sintoma respiratório associados aos pacientes de COVID-19, mas todos deram positivo para a doença ou apresentaram os anticorpos.

Ainda não há nenhuma evidência efetiva de que uma coisa leve a outra. A grande questão é que existe probabilidade de haver uma ligação. Isso porque, de acordo com o Infectologista Jamal Suleiman, do Hospital Emílio Ribas (SP), o vírus não é exclusivamente respiratório, ele promove várias alterações e a Kawasaki pode ser mais uma delas.

Por ser um vírus novo, as causas e consequências da COVID-19 ainda são mistério. Por isso, qualquer diagnóstico conclusivo ainda não pode ser emitido.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais