Tudo Bahia
Portal de Notícias

400 mil militares russos irão ser vacinados contra COVID-19

Após o ministro da defesa e general Sergei Shoigu se vacinar, todos os militares russos receberão doses da vacina russa, a Sputnik V.

Ontem, sexta-feira dia 27 de novembro de 2020, a Rússia começou a vacinação contra a COVID-19 no país. Os militares russos foram os primeiros a receber doses da Sputnik V, a vacina russa contra a doença causada pelo novo coronavírus.

Por determinação do presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, cerca de 400 mil militares russos serão imunizados. A informação é de um comunicado do Exército Russo. Até o momento, cerca de 2.500 soldados já receberam a dose da Sputnik V. A previsão é que até o fim de 2020, esse número chegue em 80 mil militares.

Militares russos recebem dose da Sputnik V

Em setembro deste ano, o próprio ministro da defesa e general do exército russo Sergei Shoigu se vacinou com a Sputnik V. A vacina é preparada pelo centro de pesquisas Gamaleya de Moscou, em parceria com o próprio Ministério da Defesa.

A Rússia já tem 2.196.691 casos da COVID-19 confirmados e é o quarto no número de infecções no mundo, atrás de Estados Unidos da América, Índia e Brasil. Até o dia 28 de novembro de 2020, 38.175 russos haviam morrido pela doença.

Sputnik V

No início do mês, a Rússia anunciou que a Sputnik V possui mais de 90% de eficácia contra a COVID-19. A informação foi dada pelo Instituto Gamaleya depois que as empresas estadunidenses Pfizer e BioNTech divulgaram que sua vacina teria esse índice de eficácia. A declaração causou dúvidas pois a Rússia não divulgou nenhum estudo de comprovação da informação.

“Somos responsáveis por monitorar a eficácia da vacina Sputnik V entre os cidadãos que a receberam como parte do programa de vacinação em massa. Com base em nossas observações, também é superior a 90%. O aparecimento de outra vacina eficaz – esta é uma boa notícia para todos”, disse a diretora do Oksana Drapkina, instituto de pesquisa do Ministério da Saúde russo no comunicado.

Quatro das dez vacinas contra a COVID-19 em todo o mundo estão na fase final – dos três testes clínicos necessários – para aprovação de distribuição na população. São elas: Sputnik V (Rússia); Pfizer + BioNTech (Estadunidense); Moderna (Estadunidense); e AstraZeneca + Universidade de Oxford (Britânica). Veja os índices de eficácia cada uma delas:

  • Sputnik V: 92% de eficácia, segundo comunicado governo da Rússia.
  • Pfizer + BioNTech: 95% de eficácia e mais de 94% eficaz em idosos acima de 65 anos, segundo dados preliminares da fase 3.
  • Moderna: 94,5% de eficácia, segundo dados preliminares da fase 3.
  • AstraZeneca + Universidade de Oxford: 70% de eficácia, com uma variação de 62% a 90% de acordo com a dose aplicada.
LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais