Tudo Bahia
Portal de Notícias

Novembro Azul: prevenção ao câncer de próstata salva vidas

Com o fim do ano chegando, vem o penúltimo mês, novembro. E, com ele, a Campanha Novembro Azul, com o objetivo de conscientizar para a prevenção ao câncer de próstata que salva milhares de vidas de homens brasileiros todos os anos.

A diferença deste ano para os demais é que a campanha sofrerá com os impactos provocados pelo novo coronavírus. Além da resistência de muitos homens, a pandemia fez com que muitas pessoas evitem entrar em ambientes hospitalares com medo de serem contaminadas.

Mesmo assim, médicos continuam alertando sobre a importância do exame de toque e da prevenção ao câncer de próstata. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é a segunda maior causa de óbitos masculinos no país provocada por doenças do tipo. Cerca de 70 mil diagnósticos são feitos todos os anos.

Novembro Azul: tabu ainda impede prevenção

Alguns tabus sobre masculinidade ainda impedem que muitos homens façam os exames de toque retal para se prevenirem, e em cenários ruins, identificarem mais cedo uma possível doença. Somente no estado da Bahia, de acordo com estimativas do Inca, 6.130 novos casos serão registrados, cerca de mil só em Salvador.

Muitas empresas oferecem o exame de forma gratuita por meio de convênios médicos durante o Novembro Azul. Também é possível obter diagnósticos pelo SUS ou outras unidades de saúde do país. O importante é que homens, principalmente acima dos 40 anos ou que tenham histórico na família, realizem o exame de toque retal.

Doença é “silenciosa”

Apesar de em alguns casos existirem sintomas como sangue na urina ou no sêmen, dores na região ou mesmo disfunção erétil, muitas vezes o câncer de próstata é assintomático em seu começo. Os sintomas citados costumam aparecer quando a doença está mais desenvolvida, ficando mais difícil de tratar.

Os oncologistas apontam que, quanto antes o diagnóstico, mais chances de sucesso o paciente terá em seu tratamento, chegando a 90% de chances de cura. Com a tecnologia atual, algumas cirurgias podem ser feitas preservando a total funcionalidade do órgão.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais