Tudo Bahia
Portal de Notícias

Governo de SP anuncia compra de 100 milhões de seringas e agulhas

Estado de São Paulo anunciou 27 pregões para a compra de 100 milhões de seringas e agulhas que serão utilizadas em campanhas de vacinação.

Nesta segunda-feira, dia 21 de dezembro, o Governo do Estado de São Paulo anunciou a compra de 100 milhões de seringas e agulhas para serem usadas na vacinação contra a COVID-19. A previsão dos governantes paulistas é que a imunização, com a vacina chinesa CoronaVac, comece no dia 25 de janeiro de 2021.

Por conta disso, o estado já começou a abastecer seus estoques com os equipamentos usados na campanha de vacinação. Segundo o governador João Dória (PSDB), “estamos ampliando o estoque para ter certeza e convicção que nenhum insumo faltará para o sistema médico do estado de São Paulo atender a população na vacinação que começa em 25 de janeiro em São Paulo”.

Licitação para 100 milhões de seringas e agulhas

Para fazer a compra, o Governo do Estado de São Paulo dividiu a aquisição em 27 pregões (espécie de licitação pública de emergência). Cada um deles irá adquirir cerca de 2 milhões de unidades de seringas, de 1ml e de 3 ml, e três tipos de agulhas. Na última sexta-feira, dia 18, a primeira licitação já foi aberta garantindo a compra dos primeiros insumos.

Todos os 645 municípios do estado de São Paulo irão receber os insumos comprados. ”Estamos comprando a mais para garantir, com larga margem, a necessidade da vacinação da COVID-19 e também outros programas de imunização”, disse Dória.

Segundo o secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, a primeira fase de vacinação em São Paulo já tem 21 milhões de seringas e agulhas garantidas. “Lembro que para a nossa primeira fase do programa estadual de vacinação que está programada para 25 de janeiro, já temos essas seringas e agulhas. Esses 100 milhões fora aqueles 21 milhões de agulhas e seringas que já estão no nosso estoque”.

Vale lembrar que a CoronaVac, vacina contra COVID-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac com parceria com o Instituto Butantan em São Paulo, ainda aguarda a liberação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Mesmo que o órgão tenha liberado o uso experimental das vacinas contra a doença, por conta do caráter emergencial, é preciso que a vacina seja regularizada pelo menos em um país antes de poder ser utilizada no Brasil.

Calendário de vacinação previsto em SP

  • Trabalhadores da saúde, indígenas e quilombolas receberão a primeira dose no dia 25 de janeiro e a segunda no dia 15 de fevereiro;
  • Idosos com 75 anos ou mais receberão a primeira dose em 08 de fevereiro e a segunda dose em 1° de março;
  • Idosos de 70 a 74 anos ou mais receberão a primeira dose em 15 de fevereiro e a segunda dose em 8 de março;
  • Idosos de 65 a 69 anos ou mais receberão a primeira dose em 22 de fevereiro e a segunda dose em 15 de março;
  • Idosos de 60 a 64 anos ou mais receberão a primeira dose em 1° março e a segunda dose em 22 de março;
LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais