Tudo Bahia
Portal de Notícias

Bolsonaro sanciona, com vetos, a ampliação do auxílio emergencial

Presidente vetou a maior parte do projeto de lei de ampliação do auxílio emergencial. Senadores criticaram a decisão.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a ampliação do auxílio emergencial aprovado pelo Senado Federal. A decisão do presidente foi publicada no Diário Oficial da União. Com isso, as mães solo que sejam menores de 18 anos também terão o direito de receber o benefício.

Por outro lado, houve veto para pescadores, caminhoneiros, babás, cabeleireiros, manicures, taxistas, motoristas de aplicativos, motoristas de transporte escolar, ambulantes, professores contratados que não estão recebendo e entregadores de aplicativo. No projeto de lei que havia sido aprovado pelo Senado, todos estavam inclusos na ampliação do auxílio emergencial.

Por fim, o presidente ainda vetou que pais solteiros possam receber R$ 1.200,00, assim como mães solo que são chefes de família.

Os vetos de Bolsonaro chamaram a atenção dos parlamentares. Senadores responderam negativamente ao ato do presidente. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do projeto da ampliação do auxílio emergencial criticou o presidente.

Randolfe chegou a dizer que Bolsonaro seria covarde. “Bolsonaro lava suas mãos em uma bacia de sangue! Quantos desses trabalhadores e quantas dessas famílias sofrerão, além da crise, com a fome e a falta de recursos? Covarde! Vamos lutar pela derrubada desses vetos!”, comentou em entrevista à Agência Senado.

O líder do PSL, senador Major Olímpio (SP), também foi contra o veto e o definiu como uma vergonha. “Irresponsabilidade, insensatez, vergonha ou que governo fez. A única coisa que o Congresso tem que fazer é derrubar esse veto parcial. É tirar essa vergonha nesse momento para que milhões de brasileiros possam sobreviver, se alimentar, levar o feijão com arroz para sua família”, afirmou em vídeo no Twitter.

Já existem conversas no Senado para que os parlamentares derrubem o veto do presidente. Tanto o Senado, quanto a Câmara, podem derrubar vetos presidenciais quando julgarem necessário.

Segunda parcela do auxílio começa a ser paga nesta segunda

O governo já começou a pagar a segunda parcela do auxílio emergencial nesta segunda-feira (18). Inscritos no Bolsa Família receberão o auxílio primeiro. O calendário dividiu os beneficiados em três grupos: Bolsa Família, outro para quem tem Poupança Social e, por fim, demais pessoas e quem deseja fazer o saque em espécie do dinheiro da Poupança Social.

Ainda há tempo de pedir o benefício

É possível solicitar o auxílio emergencial até o dia 02 de julho de 2020. Se você possui o direito, a Caixa garante que fará o pagamento integral das três parcelas. Portanto, as mães solteiras, menores de 18 anos, atendidas pela ampliação do auxílio emergencial, receberão três parcelas.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais