Tudo Bahia
Portal de Notícias

Auxílio emergencial: milhões de brasileiros terão que refazer cadastro

Os dados de cerca de 12,4 milhões de solicitantes foram inconclusivos. Por isso, terão de refazer o pedido para conseguir o auxílio emergencial.

De acordo com dados divulgados pela Caixa Econômica Federal, pelo menos 12,4 milhões de brasileiros deverão solicitar o auxílio emergencial novamente. Esse é o número de cadastros inconclusivos, com informações que não puderam ser analisadas pela Dataprev.

O auxílio de R$ 600,00, ou de R$ 1.200,00 para as mães chefe de família, é uma ação do governo federal para minimizar os impactos do isolamento social no Brasil. A medida deve-se à pandemia do novo coronavírus com objetivo de controlar o avanço da doença no país.

De acordo com informações do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, os dados inconclusivos estão relacionados a dados divergentes. Por exemplo, número do Cadastro de Pessoa Física (CPF), endereço e informações sobre dependentes.

É importante salientar que apenas poderão solicitar o benefício novamente quem recebeu como resposta “inconclusivos”. Quem teve seu pedido rejeitado e recebeu a classificação de inelegível não pode retificar os dados.

Ao refazer o cadastro é importante atenção nas informações passadas como os dados pessoais e dos dependentes da família.

Para os que ainda não conseguiram receber o auxílio emergencial, a Caixa irá pagar o retroativo. Ao todo são três parcelas de R$ 600,00 ou de R$ 1.200,00. Independente do dia que consiga aprovação, o beneficiário irá receber o correspondente às parcelas.

Ao todo, foram enviados 97 milhões de pedidos de auxílio emergencial. Destes, 50,1 milhões foram aprovados, 26,1 milhões, considerados inelegíveis e 12,4 milhões receberam a classificação de inconclusivos. Ainda há 5,2 milhões de cadastros sendo analisados.

Auxílio emergencial

Este auxílio é concedido pelo governo federal, destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

O benefício é de R$ 600,00 e será pago por três meses (até duas pessoas da mesma família) e em caso de mulher que é a única responsável pelas despesas, o valor é de R$ 1.200,00.

Quem recebe Bolsa Família poderá receber o auxílio emergencial, desde que seja mais vantajoso. Só poderá, no entanto, receber um dos benefícios.

Para mais informações, acesse o site da Caixa Econômica Federal.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais