Tudo Bahia
Portal de Notícias

Como pedir seguro-desemprego? Confira o passo a passo

Veja quais são os canais disponíveis ao trabalhador para pedir seguro-desemprego, quais são os requisitos e como são definidos valores das parcelas.

continua depois da publicidade

Em 2020, os pedidos de seguro-desemprego alcançaram o maior número da história. Segundo a Agência Brasil, mais de 2 milhões de solicitações foram feitas só entre abril e junho deste ano, sendo de 748,5 mil em abril, 960,3 mil em maio e 653,2 mil em junho. Quem quer saber como pedir seguro-desemprego deve ficar atento a algumas informações sobre o requerimento.

Por conta do isolamento social necessário durante a pandemia de COVID-19, a maior parte dos pedidos foi feita por plataformas online. Desde novembro de 2017, a solicitação via internet estava disponível. Mas, neste ano, os pedidos feitos pela via que totalizavam 10% do total em fevereiro passaram para 87% em abril e 76% em maio.

Quais são os canais usados para pedir seguro-desemprego?

Prorrogação do seguro-desemprego: enquadramento em mão segurando carteira de trabalho
Atualmente, os trabalhadores demitidos recebem de três a cinco parcelas do benefício. Foto: Caroline Ferraz/Sul21.com.br

O trabalhador que foi demitido, sem justa causa, tem algumas opções na hora de solicitar o seguro-desemprego, são elas:

Como pedir o seguro-desemprego pelo site da Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia

  • Nele, o cidadão precisa se cadastrar informando dados pessoais como CPF, nome completo, data de nascimento, estado de nascimento e nome da mãe;
  • Assim que o cadastro é completado/atualizado, o trabalhador tem acesso a um portal da Secretaria do Trabalho no Ministério da Economia onde é possível clicar na opção “Seguro-Desemprego”;
  • Depois é só clicar em “Solicitar Seguro-Desemprego”;
  • Aqui o trabalhador precisa informar o número do Requerimento do Seguro-Desemprego (esse número é dado pelo empregador no momento da demissão sem justa causa);
  • Assim que o número é colocado o site já informa valores e número de parcelas disponíveis do seguro-desemprego para o empregado.

Como pedir o seguro-desemprego pelo aplicativo da Carteira de Trabalho Digital

  • Pedir seguro-desemprego pelo aplicativo da Carteira de Trabalho Digital tem um processo bem parecido com o da solicitação feita pelo site da Secretaria do Trabalho;
  • Primeiro, é necessário baixar o aplicativo que está disponível tanto para celulares Android, pela Play Store, como para Iphones, pela App Store;
  • Depois é só logar com o número da carteira de trabalho;
  • Assim como no site, no aplicativo aparecerão diversas opções e uma delas é “Seguro-Desemprego”;
  • Depois é só clicar em “Solicitar Seguro-Desemprego”;
  • Informar o número do Requerimento do Seguro-Desemprego;
  • Assim que o número é colocado o site já informa valores e número de parcelas disponíveis do seguro-desemprego para o empregado.

Como pedir seguro-desemprego por e-mail para as Superintendências Regionais do Trabalho

  • Também é possível pedir o seguro-desemprego através do email trabalho.(sigla do estado)@economia.gov.br (por exemplo: trabalho.sp@economia.gov.br para trabalhadores de São Paulo);
  • Escolhendo essa opção o trabalhador deve enviar a documentação necessária: o Requerimento do Seguro-Desemprego (recebido do empregador) e o número do CPF.

Como pedir seguro-desemprego por telefone

  • Os trabalhadores podem ainda solicitar o seguro-desemprego por telefone, ligando para o número nacional 158, ou para as respectivas agências do trabalho do estado onde residem.

Quem pode receber o seguro-desemprego?

O seguro-desemprego foi instituído pela Lei 7.998, de 1990 e reformulado depois da Reforma Trabalhista, em 2015, pela Lei 13.134. Podem receber profissionais celetistas que foram demitidos sem justa causa ou que atendam aos seguintes critérios:

  • Rescisão indireta de contrato de trabalho, quando o empregado “dispensa” o empregador
  • Empregadas domésticas;
  • Colaboradores com contrato suspenso para participar de curso ou capacitações oferecidos pelo patrão;
  • Pescadores profissionais durante o período do defeso;
  • Profissional sem renda suficiente para sua manutenção e de sua família;
  • Trabalhador resgatado da condição semelhante à de escravo.

O trabalhador que recebe auxílios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) não pode receber o seguro-desemprego. Exceto no caso de beneficiários do auxílio-acidente, auxílio-suplementar e abono de permanência em serviço. Além disso, existe um tempo de trabalho mínimo para pedir o seguro-desemprego:

  • Primeiro pedido: quem trabalhou pelo menos 12 meses nos últimos 18 meses imediatamente anteriores à dispensa;
  • Segundo pedido: quem trabalhou pelo menos nove meses nos últimos 12 meses anteriores à dispensa;
  • Demais pedidos: em cada um dos seis meses imediatamente anteriores à dispensa.

Recebimento das parcelas

As parcelas são feitas em conta simplificada (como as contas fáceis) ou conta poupança digital da Caixa, o trabalhador que já possui uma conta na instituição recebe por ela sem precisar criar outra.

Os saques são feitos em agência, casas lotéricas ou em terminais de autoatendimento com a utilização do cartão caixa. Quem não possui o cartão deve ir a uma agência portando: documento de identificação civil, carteira de trabalho e requerimento de seguro-desemprego.

O número de parcelas varia de três a cinco, conforme o número de benefícios pedidos pelo trabalhador e pelo tempo de trabalho na organização. Veja os valores das parcelas do seguro-desemprego:

  • Média dos três últimos salários multiplicados por uma porcentagem:
  • Média de até R$ 1.599, 61: multiplique o valor por 0,8 (80%);
  • Média entre R$ 1.599,62 até R$ 2.666,29 – multiplique por 0,5 (50% e some a R$ 1.279,69;
  • Média acima de R$ 2.666,29 – valor fixo de R$ 1.813,03;
  • Pescadores, trabalhadores resgatados de condição análoga à de escravo e empregados domésticos: um salário mínimo vigente (R$ 1.045)
LEIA TAMBÉM

Valor do abono salarial PIS/Pasep vai AUMENTAR em 2021; veja quanto

Trabalhadores que recebem o abono salarial ganharão aumento no benefício em 2021. O PIS/Pasep vai aumentar de R$1.045 para R$1.087, por conta do aumento do salário mínimo no próximo ano. Portanto, o benefício será…

Governo e Congresso negociam novo programa social

Com a dúvida sobre a prorrogação do auxílio emergencial, segundo o jornal Estadão, o governo e o Congresso estariam negociando um novo programa social. Para que isso ocorra, seriam necessários diversos cortes de gastos.…

Abono extra de R$ 2 mil pelo INSS: se aprovado, quem receberia?

O jornalista Jefferson Brandão, por meio do portal e-Cidadania, elaborou ideia legislativa para implementar um novo abono extra de R$ 2 mil pelo INSS. Como a iniciativa conseguiu 26.000 apoiadores, o documento foi…

14º salário do INSS para aposentados e pensionistas? Entenda o projeto de lei

Os aposentados e pensionistas do INSS receberam o 13º salário antes de prazo definido, com o objetivo de ampará-los durante a crise ocasionada pelo contexto de pandemia. Por outro lado, existe um projeto de lei que prevê…

Auxílio emergencial prorrogado? Veja o que diz Secretário do Tesouro

Nesta terça-feira (24/11), o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, falou sobre a prorrogação do auxílio emergencial. Os comentários sobre o tema foram feitos durante uma audiência pública na Comissão Mista do…

Bolsa Família: como revogar o cancelamento do auxílio emergencial?

O Ministério da Cidadania informou que até 30 de novembro de 2020 estará recebendo pedidos de quem quer contestar Bolsa Família negado no auxílio emergencial residual. Os inscritos no programa de renda social que foram…

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais