Tudo Bahia
Portal de Notícias

Salário mínimo de 2021 pode ser maior do que esperado; veja quanto

O Governo Federal alterou a projeção que havia feito para o novo salário mínimo de 2021 para R$ 1.087,84. A mudança ocorreu em virtude da revisão estimada da inflação.

A informação foi divulgada no dia 17 de novembro de 2020 pela Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia. Sendo assim, a nova previsão do INCP (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) é de que a inflação passe de 2,35% para 4,10%.

Em agosto de 2020, o governo estabeleceu que o salário mínimo seria de R$ 1.067,00. Por isso, é importante deixar claro que o valor de agora pode mudar até o final do ano.

O salário mínimo, em 2020, é de R$ 1.045,00. Com a nova previsão, o valor será corrigido para R$ 1.087,84 no ano de 2021 — um aumento de R$ 42,84.

Não haverá ganho real do salário mínimo de 2021

Como o novo valor do salário mínimo para 2021 será reajustado somente conforme a inflação, não haverá um ganho real por parte do trabalhador. Isso quer dizer que a remuneração nova não irá permitir que a pessoa compre mais coisas que antes, sendo garantido apenas a manutenção do poder de compra atual.

Vale ressaltar que a correção de acordo com a inflação está prevista na Constituição Federal e é obrigação da administração pública.

Entre os anos de 2011 e 2019, houve uma política de aumentos reais do salário mínimo. Ou seja, o governo elevava o valor acima do que foi registrado pela inflação. Somente não houve aumento nos anos de 2017 e 2018. A justificativa foi que o PIB retrocedeu em 2015 e 2016 e seria necessário um ajuste fiscal.

Em 2020, por exemplo, já não houve mais a política do ganho real. O governo reajustou o salário mínimo para R$ 1.045,00 baseado na inflação de 2019. Para 2021, a justificativa do governo foi a crise econômica provocada pelo novo coronavírus.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais