Tudo Bahia
Portal de Notícias

INSS anuncia aumento de 25% na aposentadoria especial

O aumento na aposentadoria especial do INSS será dado por meio de auxílio-acompanhante para beneficiários que precisam de ajuda nas atividades diárias.

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) anunciou mais uma novidade aos seus beneficiários. Desta vez, o foco é especialmente para os aposentados por invalidez e consiste na criação de um auxílio-acompanhante. Sendo assim, o INSS liberou um aumento de 25% no valor da aposentadoria daqueles que não estão aptos a realizar atividades laborativas. 

Esses trabalhadores, portanto, precisam de alguém para ajudar nas atividades diárias, podendo ser um enfermeiro, ajudante contratado ou um membro da família. O adicional tem o objetivo de completar a renda desses aposentados com uma quantia que cubra o amparo dado pelo acompanhante. 

Como solicitar o aumento na aposentadoria especial  

O auxílio já está incluído no valor recebido pelo aposentado por invalidez. Contudo, quem se encaixa nessa categoria e não ganhou o benefício poderá solicitá-lo. Basta entrar em contato pelo aplicativo Meu INSS ou pelo número de telefone 135. Vale ressaltar que, na hora de solicitar o aumento na aposentadoria especial, o requerente deve apresentar: 

  • CPF e identidade com foto do aposentado e de seu representante (ou procurador); 
  • Termo de representação legal ou procuração;  
  • Documentos médicos que comprovem a dependência de terceiro por parte do segurado. 

Abono extra do INSS  

Está correndo no Senado Federal uma ideia legislativa, criada pelo jornalista Jefferson Brandão, para criação de um abono extra do INSS no valor de R$ 2 mil. Caso a proposta, que já tem mais de 26 mil apoiadores, seja aprovada e sancionada, definirá novos repasses para os cadastrados no Benefício de Prestação Continuada (BPC). 

Um dos requisitos para conseguir a complementação é ter renda mensal de até três salários mínimos. O objetivo do texto é dar mais um suporte aos aposentados durante a pandemia de coronavírus.  

Ajustes no teto de benefícios do INSS  

O Ministério da Economia confirmou o aumento nas estimativas do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2020. A previsão é que saia dos atuais 2,35% e passe para 4,10%. A mudança impacta diretamente nos benefícios do INSS, uma vez que o resultado é utilizado para calcular os reajustes.  

A nova perspectiva também indica que o piso salarial poderá subir de R$ 1.045 para R$ 1.087,85. Se o salário mínimo passar por essa alta, é possível que o abono salarial PIS/PASEP atinja o mesmo valor. Seguindo essa lógica, o teto para aposentados e pensionistas pode aumentar de R$ 6.101,06 para R$ 6.351,20, a partir de 2021. 

O limite no valor dos benefícios concedidos pelo INSS é para pessoas que contam com salários mensais de valor muito acima do piso nacional. Sendo assim, quando se aposentam, esses trabalhadores deveriam receber grande quantia do governo. No entanto, a administração pública não conseguiria manter o mesmo valor de salário que os funcionários recebiam na ativa. 

Logo, o teto da aposentadoria é necessário. Dessa forma, é possível equilibrar e limitar os gastos da previdência. Porém, vale ressaltar que por enquanto os valores são apenas estimativas. Além disso, a equipe econômica confirmou que os reajustes para 2021 terão como base apenas a inflação vigente. 

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais