Tudo Bahia
Portal de Notícias

NOVO reajuste do salário mínimo em 2021: veja como vai ficar

Mínimo havia passado de R$ 1.045 para R$ 1.100. Para repor a inflação, o salário mínimo deverá sofrer novo reajuste em fevereiro.

O salário mínimo em 2021 deve sofrer um novo reajuste. Nesta terça-feira, 12 de janeiro de 2021, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), usado para a correção do mínimo, acumulou alta de 5,45% em 2020.

Objetivamente, isso significa que, para que não haja perda de poder de compra, o valor do salário mínimo teria de ser reajustado para R$ 1.101,95 ainda em 2021.

No ano passado, o procedimento foi o mesmo. O índice de reajuste do salário mínimo, inicialmente, foi menor do que o resultado do INPC de 2019. Porém, logo após divulgação do IBGE, o governo federal determinou nova correção.

Salário mínimo pode sofrer novo reajuste: entenda!

O reajuste do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que é usado para a correção do mínimo, foi divulgado apenas agora, com aumento de 5,45%, que é inferior ao reajuste do mínimo.

Quando corrigiu o salário mínimo para 2021, passando de R$1.045 para R$1.100, o Governo Federal reajustou o salário mínimo em 5,26%.

Dessa forma, para que não haja perda de poder de compra dos consumidores, o valor do salário mínimo deverá sofrer novo reajuste.

Variações do salário mínimo no Brasil

Os reajustes no salário mínimo não são aplicados aos empregados que têm piso salarial definido por lei federal, convenção ou acordo coletivo e os servidores públicos.

Além disso, cinco estados brasileiros têm mínimos próximos e faixas de pisos regionais, que chegam a ser maiores do que é estabelecido nacionalmente. São eles:

  • Santa Catarina: O novo piso de 2021 deve ser definido até março. Atualmente no estado o mínimo varia de R$ 1.215,00 a R$ 1.391,00;
  • Rio de Janeiro: o piso para 2021 ainda está indefinido. A tabela atual vai de R$ 1.238,11 a R$ 3.158,96, de acordo o grupo de trabalho;
  • Rio Grande do Sul: O estado conta com cinco faixas em vigor, conforme a atividade. O mínimo regional, é de R$ 1.292,82 e a maior, de R$ 1.638,36 (abrange trabalhadores técnicos de nível médio);
  • São Paulo: O piso estadual para 2021 deve ser definido até abril. Atualmente, as faixas iniciais vão de R$ 1.163,55 a R$ 1.183,33, conforme o grupo de trabalho;
  • Paraná: Ainda indefinido para 2021, o mínimo no estado deve ter reajuste por volta de 6%. Atualmente, a tabela varia entre R$ 1.383,80 e R$ 1.599,40, conforme o grupo/categoria.

Reajuste de benefícios sociais

Com o novo salário mínimo, com aumento inicial de R$55, vai gerar um gasto de R$19,5 bilhões aos cofres da União em 2021. Geralmente, cada R$ 1 de aumento no piso nacional gera a elevação de R$ 355 milhões nas despesas da União.

O pagamento dos benefícios sociais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é um dos motivos da elevação dos gastos do governo federal. Esses auxílios-sociais são voltados para a população em geral, como pensões, abono salarial e o seguro-desemprego.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais