Tudo Bahia
Portal de Notícias

Mutirão do Emprego em São Paulo oferecerá 10 mil vagas

As inscrições para o Mutirão do Emprego em São Paulo estão abertas até o dia 2 de outubro de 2020. Em virtude da pandemia, o evento — já tradicional no estado — será feito na modalidade online pelo site da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Mais de 20 empresas diferentes estão ofertando cerca de 10 mil vagas este ano. Só no primeiro dia de cadastro, na última segunda-feira 28 de setembro, mais de 8 mil candidatos se inscreveram

Apesar de virtual, o Mutirão do Emprego em São Paulo vai disponibilizar cursos de qualificação profissional para interessados. Para participar é só entrar no site da secretaria, clicar no banner do mutirão e fazer o cadastro do seu currículo — os empregadores vão ligar para os profissionais que lhe interessarem. A seleção será feita entre os dias 5 e 9 de outubro de 2020, a prioridade é dada por ordem de cadastro. 

No site, os trabalhadores terão a opção de ir para a página do Poupa Tempo e acessar outros serviços digitais, como a carteira de trabalho virtual. Em 2019, a falta de capacitação dos profissionais fez com que só 65% das vagas no Mutirão do Emprego em São Paulo fossem preenchidas.

O evento é idealizado pela União Geral dos Trabalhadores (UGT) e possui parceria com governo do estado de São Paulo. 

Mutirão do Emprego em São Paulo oferece capacitação online

Dentre as vagas disponíveis, a maioria é na área de vendas, com cargos de atendente, vendedor, promotor de vendas e operador de caixa. Também está disponível, até o dia 9 de outubro, a opção de cursos de qualificação para quem cadastrar seu currículo. As aulas serão em formato EAD e vão desde idiomas até gestão de negócios e outros conteúdos empresariais. 

Alguns cursos, oferecidos pelo programa Minha Chance, são personalizados para grandes companhias como Atento e Carrefour. São eles: telemarketing, estoquista e técnico de vendas. Ao todo serão 600 vagas oferecidas para esses cursos em específico. 

Crise econômica

A pandemia de COVID-19 afetou diversos setores econômicos em São Paulo. Um levantamento do Datafolha mostrou que mais da metade da população do estado perdeu sua renda mensal. As famílias que recebiam até dois salários mínimos foram as mais impactadas, assim como os profissionais autônomos que perderam até 66% do que recebiam. 

Apesar disso, no início do mês de setembro, o governador do estado de São Paulo, João Dória (PSDB), anunciou que o PIB do estado estaria chegando a um valor próximo ao que tinha no período antes da pandemia. Segundo ele, isso se deu por um investimento do governo em planos de retomada econômica para 2022, aliado a algumas medidas de desoneração dos cofres públicos.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais