Tudo Bahia
Portal de Notícias

Disney e sindicatos entram em acordo para voltar ao trabalho

Acordo entre Disney e sindicatos envolvem segurança dos trabalhadores durante pandemia do novo coronavírus.

A Walt Disney anunciou que entrou em acordo com sindicatos de trabalhadores que prestam serviços para o complexo Walt Disney World, localizado no estado da Flórida, nos Estados Unidos. Uma das maiores preocupações, e que foi exigida pela organização sindical, foi a segurança dos 43 mil trabalhadores em relação à pandemia de coronavírus.

É válido lembrar que nos Estados Unidos, a COVID-19 já matou mais de 100 mil pessoas e infectou quase dois milhões de indivíduos. Com o acordo, a Disney poderá finalmente reabrir os seus famosos parques localizados em Orlando e outras atrações e estabelecimentos em cidades próximas.

Novas medidas serão implementadas

Entre as medidas que serão implementadas estão o uso obrigatório de máscaras por parte dos funcionários e dos visitantes dos parques. Também haverá exigência de distanciamento social e medidas mais rigorosas de limpeza e higienização.

Já foi anunciado que a companhia reabriria lojas e restaurantes no Disney Springs, na cidade de Orlando, em 20 de maio. Porém, a reabertura dos quatro grandes parques (Epcot, Magical Kingdom, Hollywood Studios e Animal Kingdom), também em Orlando, serão abertos ao público no dia 11 de julho.

A empresa havia fechado os seus parques e resorts em todo planeta. O principal motivo foi a pandemia provocada pelo coronavírus.

De acordo com um balanço feito pela Disney, ao fechar os seus parques por conta da pandemia do novo coronavírus, a companhia teve um prejuízo de mais de US$ 1 bilhão. Ao todo, 120 mil funcionários da empresa ficaram em licença não-remunerada, o que gerou críticas nos Estados Unidos.

Disney reabre na China

A Disney não possui parques somente nos Estados Unidos. Existem resorts localizados na Europa e em países asiáticos. O parque da Disney em Xangai, na China, não só já reabriu como conseguiu esgotar todos os seus ingressos. É preciso relembrar que a situação chinesa é mais confortável que a americana, com a vida voltando ao normal aos poucos. Mesmo assim, por lá, novas medidas foram adotadas, como por exemplo o uso de máscaras.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais