Tudo Bahia
Portal de Notícias

Qual é a principal diferença entre mármore e granito?

Você consegue apontar o que diferencia esses dois tipos de pedras?

O uso do mármore e do granito em revestimentos, bancadas, pias e pisos é cada vez mais comum, mas isso não significa que as pessoas sabem quais são as diferenças entre um material e outro.

Ambas as pedras são naturais, mas suas características físicas variam bastante em termos de composição e finalidade de uso. O mármore é considerado uma pedra metafórica e sua origem é no calcário, com os tons da coloração dependendo dos minérios proeminentes. É possível encontrar chapas de mármore predominantemente brancas, acinzentadas, pretas ou esverdeadas.

A expressão “metafórica”, usada para se referir ao mármore, tem a ver com o fato de que essa pedra comumente vem do calcário comum, mas que passou por mudanças físicas devido a variações de pressão e temperatura.

O granito, por outro lado, é formado majoritariamente por minérios como quartzo, mica e feldspato. É uma pedra mais resistente e possui maior variedade em relação a cores e mesclas, devido à forma como os minerais são dispostos internamente.

Essas características colaboram para que as pedras de granito sejam mais brilhantes e tenham uma aparência visual mais homogênea quando comparadas com placas de mármore.

Uso do mármore e do granito

Os aspectos físicos de cada tipo de pedra influenciam no uso que se faz delas. O granito é uma rocha mais resistente do que o mármore, por isso costuma ser utilizado em bancadas de cozinha e áreas de serviço.

Isso não quer dizer que o mármore é contraindicado para essa finalidade, mas pode ser necessário aplicar produtos que impermeabilizam a pedra, para que ela fique mais resistente também.

A limpeza dos dois materiais é simples e pode ser feita da mesma maneira, com o uso de um pano molhado em água e detergente neutro. Em termos de manutenção, o recomendado é que o mármore seja selado a cada seis meses e que o granito receba o mesmo tratamento uma vez a cada dois anos.

Esse intervalo pode sempre variar, para mais ou para menos, conforme o uso e os cuidados. E aí, tirou suas dúvidas em relação às diferenças entre as duas pedras? Agora é só colocar tudo na ponta do lápis e escolher o material que se encaixa melhor em suas necessidades.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais