Tudo Bahia
Portal de Notícias

Pazuello diz que estados podem começar a vacinação hoje (18)

Pazuello, ministro da Saúde, oficializou entrega das vacinas aos estados

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, oficializou a distribuição da CoronaVac aos governadores que participaram de cerimônia hoje (18/01) em Guarulhos, na Grande São Paulo. Os estados devem começar a imunização contra a COVID-19 ainda nesta segunda-feira.

O convite ao evento de hoje foi feito por Pazuello ontem (17/01) aos governadores, depois do governador João Doria (PSDB-SP) ser acusado de usar a vacinação contra a COVID-19 antes do Plano Nacional de Imunização (PNI) como estratégia de marketing.

A CoronaVac foi produzida pelo Instituto Butantan, ligado ao governo paulista, em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Pazuello informou que serão distribuídas aproximadamente 6 milhões de doses da vacina e a imunização contra a COVID-19 deve começar nos estados a partir das 17h.

O ministro admitiu que “os processos decisórios não foram fáceis para se votar unanimemente [na Anvisa] para autorizar o uso emergencial” das vacinas. “Há ressalvas ainda com documentos a serem cumpridas até 31 de março”, acrescentou Pazuello.

Plano Nacional de Imunização contra a COVID-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou ontem (17/01) o uso emergencial de duas vacinas contra a COVID-19, vindas da China e do Reino Unido

. A CoronaVac (chinesa) e a vacina de Oxford (inglesa), que foi desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca, será produzida no Brasil pela Fiocruz (mas ainda não está disponível).

“O Butantan e a Anvisa cumpriram com seu papel, e o nosso é aplicar e monitorar todos os vacinados”, declarou Pazuello.

Oficialmente, o plano de imunização contra a COVID-19 estava previsto para começar nesta quarta-feira (20/01), mas devido às demandas estaduais o plano foi adiantado, tanto de distribuição quanto de aplicação das vacinas, para esta segunda-feira (18/01).

A imunização vai começar pelos grupos prioritários: profissionais de saúde, idosos em instituição de longa duração, indígenas aldeados, deficientes com deficiências específicas.

Eficácia das vacinas

Muito se tem discutido a respeito da eficácia e segurança dos imunizantes contra COVID-19 que estão sendo produzidos no mundo.

Vamos explicar, brevemente, sobre as vacinas recentemente aprovadas pela Anvisa.

VACINAEFICÁCIASEGURANÇAEFEITOS COLATERAIS
CoronaVac50,38%O imunizante é 100% eficaz para prevenir casos graves e moderados (que precisam de hospitalização). E 78% de eficácia para evitar casos leves (que precisam de atendimento ambulatorial).Não há relatos divulgados de efeitos colaterais graves. Um estudo com mais de 50 mil, realizado em setembro, com voluntários chineses registrou apenas incômodos leves: dor no local da injeção, fadiga e febre baixa. Alguns participantes experimentaram perda de apetite, dor de cabeça e febre mais elevada.

 

 

Vacina de Oxford70,4%A imunização contra COVID-19 foi de 62,1% para os voluntários que receberam duas doses completas da vacina. E subiu para 90% entre aqueles que receberam meia dose seguida de uma dose completa no intervalo de um mês. Nenhum dos voluntários imunizados apresentou quadro grave de infecção.

 

Resultados preliminares publicados na fase 3 dessa vacina. O texto relata sobre um episódio já reportado de mielite transversa (síndrome inflamatória que afeta a medula espinhal) e sobre febre superior a 40 °C, registrado na África do Sul, dois dias após o voluntário ter se vacinado. Contudo, o voluntário se recuperou rapidamente e não precisou de internação. Como foi um caso isolado é provável que não seja uma reação comum.

 

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais