Tudo Bahia
Portal de Notícias

Refluxo e alimentação: veja alguns mitos e verdades sobre o assunto

Você sofre com refluxo e ainda não entendeu muito bem como os alimentos amenizam ou aumentam o problema? Então continua a leitura.

Se você se lembra das aulas de Biologia, sabe que nosso estômago produz substâncias muito ácidas, que ajudam a digerir o que comemos ao longo do dia. Quando parte desse ácido volta para a região do esôfago em direção à boca, o incômodo é grande e traz sintomas como azia, dor e sensação de queimação.

Para falar um pouco a respeito da alimentação e dos sintomas do refluxo, conversamos com a nutricionista Hortência Kettelen Souza Luz, que é formada pela Universidade Federal de Goiás e hoje é residente em Terapia Intensiva pelo Hospital das Clínicas da mesma instituição.

Ela nos explicou um pouco melhor quais são as causas do refluxo gástrico, seus sintomas e a relação da condição com os alimentos que consumimos.

Refluxo gástrico e alimentação

Além dos sintomas mais clássicos, como azia, queimação e regurgitação, Hortência nos explica que eles não são os únicos, já que o refluxo gástrico também pode provocar tosse, asma, rouquidão, mau hálito e pigarro.

Você já ouviu falar que uma das causas para o problema pode ser o excesso de peso? Pois isso também é verdade, até mesmo porque “a obesidade e gordura localizada no abdome provocam aumento da pressão dentro do estômago, facilitando a ocorrência de refluxo”.

Alguns alimentos podem piorar a manifestação dos sintomas também. Hortência destaca, entre eles, o café, o chocolate e o álcool, que têm a capacidade de afrouxar o esfíncter inferior do esôfago, facilitando a saída do suco gástrico.

Ela explica que “pães, embutidos e outros carboidratos também aumentam os sintomas de refluxo. Estes alimentos estimulam uma maior produção de ácido pelo estômago e também não são recomendados”.

Em relação ao horário das refeições, é verdadeira a recomendação de não se alimentar quando a hora de dormir estiver próxima, pois deitar com o estômago cheio pode piorar os sintomas do refluxo, inclusive durante o sono.

A nutricionista explica que “na maioria das pessoas, o refluxo piora em posição supina (deitado com o rosto pra cima), e pode haver refluxo durante o sono, principalmente quando a pessoa faz uma refeição copiosa antes de se deitar”.

É importante também que o paciente com refluxo diminua o consumo de alimentos que produzem gases, como brócolis, leite e derivados, refrigerante, aveia e alguns tipos de frutas.

Esses alimentos são ricos em fibras e carboidratos e, quando chegam ao intestino, passam por um processo intenso de fermentação, o que resulta na produção de gases.

Se você estiver com sintomas de refluxo, marque uma consulta com um médico gastroenterologista e solicite um encaminhamento para uma nutricionista, que fará os ajustes alimentares ideais para o seu caso.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais