Tudo Bahia
Portal de Notícias

Crise de ansiedade ou de pânico? Entenda a diferença

Ambas são condições muito comuns atualmente, então pode ser interessante compreender a diferença entre uma e outra.

As doenças psicológicas estão se tornando cada vez menos estigmatizadas e, felizmente, isso tem levado muitas pessoas a procurarem tratamento especializado para lidar melhor com sua mente. Como em qualquer área da saúde, o grande número de informações sobre as condições psicológicas pode confundir muitas pessoas devido à sua complexidade.

Para tentar diminuir uma das confusões mais comuns (entre ansiedade e pânico), o Tudo Bahia conversou com a psicóloga hospitalar Ketlin Monteiro Felipe de Oliveira. Veja a seguir as diferenças mais marcantes entre o transtorno de ansiedade e o de pânico:

1. Transtorno de ansiedade

Segundo a profissional, é importante destacar que existem variados tipos de transtornos de ansiedade, além disso, a ansiedade também pode aparecer como um componente relevante em outros transtornos psiquiátricos.

Crises de ansiedade

As crises de ansiedade são definidas por acontecerem de forma intermitente. Nessas situações ocorre o aparecimento de diversos sintomas ansiosos, sendo que esses terão uma frequência e intensidade significativa.

Ketlin ainda lembra que essas crises podem, ou não, estar associadas aos sintomas contínuos da ansiedade generalizada.

2. Crises de pânico

Os principais sintomas que a pessoa está em uma crise de pânico, de acordo com a psicóloga, são:

  • Medo intenso de morrer;
  • Estranhar-se a si mesmo (despersonificação);
  • Sensação de que um ou mais ambientes, que antes eram bem conhecidos, agora parecem estranhos (desrealização).

Síndrome do pânico

Quando as crises de pânico se tornam frequentes, ocorre a chamada síndrome do pânico, tendo também como sintoma uma constante preocupação com novas crises e suas consequências. Tudo isso acompanhado de grande sofrimento psíquico.

É importante destacar que, caso esteja passando por qualquer espécie de sofrimento mental, é importante procurar ajuda especializada o mais rápido possível junto a uma psicóloga e psiquiatra de sua confiança.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais