Tudo Bahia
Portal de Notícias

TikTok insere opção de “gorjeta” para criadores de conteúdo; entenda

As opções para vídeos postados na plataforma, chamado de on demand, terão novo portal: “Creator Next”. Saiba mais.

Os criadores de conteúdo para o TikTok terão, a partir de agora, um recurso a mais para monetização de seus conteúdos. Nesta quarta-feira (01/12), a plataforma de vídeos anunciou que promoverá pagamentos por meio de gorjetas e até presentes oriundos dos fãs. Anteriormente, esses recursos estavam liberados apenas para o TikTok Live, que são as transmissões ao vivo.

As opções para vídeos postados na plataforma, chamado de on demand, terão novo portal: “Creator Next”. Ele disponibilizará todas as opções de monetização dos vídeos em espaço único. Outra ferramenta que pode ajudar muito criadores de conteúdo com milhares de seguidores é o Creator Marketplace, que já existe desde 2019.

Mas, agora, será expandido e fará uma ponte entre entre os criadores de conteúdo e determinadas marcas. Dessa maneira, os criadores poderão fazer vídeos patrocinados e de recomendação de produtos. Vale ressaltar que essa funcionalidade do Creator Marketplace chegará a pessoas que tenham um mínimo de 10 mil seguidores.

Através dessas ferramentas, um criador poderá obter não apenas a ajuda dos fãs, mas também firmar grandes parcerias com produtos e marcas. O TikTok busca meios de remunerar os criadores e vem desenvolvendo as ferramentas há algum tempo. Porém, somente agora conseguiu implementar e divulgar as novidades.

Regras de monetização

Embora os recursos anunciados sejam promissores e certamente uma excelente chance de faturar com conteúdo, existem algumas regras de elegibilidade para monetização, assim como ocorre em outras plataformas como o Youtube. No TikTok, é necessário que o criador de conteúdos tenha pelo menos 100 mil seguidores e mantenha uma rotina de postagem dos conteúdos.

Os novos recursos ainda não estão disponíveis para todos os criadores do Brasil, mas a partir dos próximos meses deverão ser liberados. Apenas Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Itália e Espanha já tiveram a liberação.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais