Tudo Bahia
Portal de Notícias

Canabidiol desenvolvido pela USP chega às farmácias

Produto é o primeiro a ser desenvolvido no Brasil e agora poderá ajudar pessoas com epilepsia e outras enfermidades.

A Universidade de São Paulo (USP), após 35 anos de intensas pesquisas, finalmente anunciou que o seu canabidiol finalmente chegou às farmácias. O medicamento é um derivado da cannabis sativa, mais conhecida como a planta da maconha.

Esta é a primeira vez que a substância é feita dentro do Brasil. Anteriormente, para se obter canabidiol era preciso importar, encarecendo bastante o produto. Além dos cientistas da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto (SP), uma indústria farmacêutica do Paraná auxiliou na produção do medicamento.

Antes de chegar ao mercado nacional, o canabidiol brasileiro precisou passar por testes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Depois de aprovado, finalmente passou a ser vendido nas farmácias em maio de 2020.

Por ser um medicamento bastante específico, o canabidiol precisa de receita médica tipo B (azul). Além disso, possui numeração controlada já que atua no sistema nervoso central dos pacientes. Entre os usos do canabidiol, o mais comum é para crianças e adolescentes que possuem epilepsia.

Vantagens do canabidiol brasileiro

A primeira vantagem do canabidiol brasileiro é o seu preço. O produto brasileiro custa cerca de R$ 2,3 mil, valor relativamente alto, porém, mais em conta que os R$ 3 mil do importado. O preço seria ainda melhor caso a indústria farmacêutica pudesse plantar cannabis sativa. Por imposição da lei, a planta é importada para que o medicamento seja feito aqui. O próximo passo é desenvolver uma versão sintética do canabidiol e baratear ainda mais o produto.

O fato do canabidiol ser feito no Brasil reduz o tempo de entrega do produto e consequentemente a sua disponibilização no mercado. Pacientes com quadro grave de epilepsia são acostumados a esperar por meses até uma nova remessa chegar.

Além das vantagens econômicas e de tempo, o produto desenvolvido pela USP ainda conseguiu o feito de ser registrado como um fitofármaco. Isso quer dizer que o medicamento pode ser receitado para qualquer tipo de situação que o médico concluir ser benéfico ao seu paciente. Já o canabidiol importado possuía a especialidade para contrações musculares involuntárias (como o que ocorre durante a epilepsia).

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais