Tudo Bahia
Portal de Notícias

Leilão da privatização da estatal Copel Telecom foi vencido com lance de R$ 2,39 bi

Na última segunda-feira (09/11), aconteceu o leilão da privatização da estatal de telecomunicações, a Copel Telecom. A venda da última estatal de telecomunicações do país aconteceu na sede do B3, a bolsa de valores do Brasil, em São Paulo.

O leilão foi levado pelo Fundo Bourdeax que venceu os lances de outros três grupos: o Consórcio Calgary, o Consórcio Economia Real Telecomunicações e a Algar Soluções, com a qual a Bourdeax disputou o leilão até o final. A Copel Telecom foi vendida por R$ 2,39 bilhões, com lucro de 70,94%, aproximadamente R$ 1 milhão a mais do preço mínimo estipulado.

O evento de privatização da estatal foi acompanhado pelo governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior (PSD), e pelo presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero. O dinheiro arrecadado na venda vai retornar para o caixa da Copel Telecom com o objetivo de ampliar os investimentos da empresa na distribuição, transmissão e geração sustentável de energia.

O diretor-geral da subsidiária, Wendell Oliveira, explicou que a expectativa é de que o processo de privatização da estatal seja finalizado até o ano que vem. Para que a venda seja concluída, o processo precisa ser analisado por instituições como a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Sobre a Copel Telecom

A agora, ex-estatal Copel Telecom é detentora exclusiva das telecomunicações de fibra ótica do estado do Paraná. A empresa está presente em subsidiárias nos 399 municípios do Estado, com total de 36 mil quilômetros de cabos que dão acesso a internet banda larga à, aproximadamente, 170 mil consumidores.

Com o aumento da competitividade no mercado das telecomunicações, a empresa sofreu uma baixa de 21,9% do seu domínio. Apesar disso, ela ainda aparece na frente da Vivo, que já conquistou 12% do mercado na área de telefonia e internet do estado do Paraná

A expectativa com a privatização da estatal é que a empresa tenha mais competitividade e ampliar a oferta de serviços. Os contratos atuais da subsidiária serão respeitados, incluindo todos os firmados com o governo estadual do Paraná, que foram contratados em concorrência pública.

A privatização da estatal

A decisão pela venda da Copel Telecom foi resultado do peso dos investimentos milionários e constantes que a empresa demandava para que continuasse competitiva e pudesse crescer no mercado. No período entre 2009 e 2018 a empresa precisou de investimentos de R$ 1,26 bilhão, por exemplo.

Então o governo do Paraná decidiu pela privatização da estatal por não estar mais interessado em investir no setor. Apesar dos gastos, a Copel Telecom continuava a ser bastante lucrativa. No ano passado (2019), a receita líquida da companhia foi de R$ 410 milhões.

O presidente da Copel Telecom declarou que “o sucesso deste leilão, que ficou acima da expectativa e trouxe grupos consolidados do mercado, é resultado da confiança, robustez e segurança jurídica que seguiu por todo o processo de privatização, que foi acompanhado pelos órgãos de controle. Temos uma visão de futuro para as próximas décadas, com projetos para dar mais segurança ao sistema, ampliar a base de ativos da Copel e que sejam atrativos para aumentar os retornos aos nossos acionistas, clientes e consumidores”.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais