Tudo Bahia
Portal de Notícias

O que fazer quando o celular cai na água? Saiba como “salvar” o aparelho

Confira aqui os “primeiros socorros” para esses momentos de desespero.

Hoje em dia o celular é quase um item de sobrevivência para vida urbana. Nele, temos, entre outras coisas, aplicativos para pagamento de contas, redes sociais e diversas lembranças que podem não estar salvas em nenhum outro lugar.

Mesmo sendo tão importante, às vezes acabamos sendo um pouco desastrados e derrubando o celular na água. Pensando nisso, separamos alguns passos que podem ser seguidos para salvar seu aparelho nessa situação de emergência:

1. Quanto mais rápido for o resgate, melhor

É importante deixar o smartphone o menor tempo possível em contato com a água, para evitar que a umidade penetre demais no aparelho.

2. Tente não fazer movimentos bruscos

É preciso não movimentar muito seu smartphone durante os primeiros socorros, porque isso evita que partes ainda secas sejam contaminadas.

3. Desligue o celular

Logo depois de realizar o salvamento, desligue o aparelho para evitar curto-circuito. Mantenha-o assim por, no mínimo, 24 horas.

4. Remova tudo que for possível

Para facilitar a secagem, além de evitar maiores prejuízos, retire a capinha, cartão de memória e cartão SIM.

5. Realize a primeira secagem

Com um guardanapo ou papel toalha, seque cuidadosamente a parte externa do aparelho.

6. Secagem interna

Nesse ponto não há consenso entre os especialistas. As soluções mais comuns são colocar o celular imerso em arroz por 24 horas ou expô-lo à luz solar. Nesse último caso, é importante não deixar muito tempo para evitar o superaquecimento dos componentes.

7. O que não deve ser feito

Evite secadores, porque podem causar dessolda, ou seja, derreter as conexões entre alguns dos componentes eletrônicos. Também fuja dos ventiladores, pois eles podem espalhar a água dentro do celular.

Caso tenha feito tudo isso e seu smartphone ainda não esteja funcionando direito, a melhor coisa é levá-lo a uma assistência técnica autorizada.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais