Tudo Bahia
Portal de Notícias

Comércio eletrônico: o que as pessoas mais compram no período de pandemia?

Estudo analisou as compras realizadas pela internet para verificar quais os produtos do comércio eletrônico são mais procurados.

De acordo com dados analisados sobre comércio eletrônico, houve um aumento no desempenho do setor durante as primeiras semanas do mês de abril. Esse aumento se deve em razão do isolamento social, medida adotada para conter o avanço do novo coronavírus.

Sendo assim, de acordo com os dados, a comercialização de produtos como salgadinhos, chocolates, biscoitos entre outros alimentos aumentou 722% durante a segunda semana de abril. Isso foi logo após o decreto de quarentena instituída oficialmente em São Paulo.

Esse aumento no consumo de “snacks” é justificado em razão do fechamento de restaurantes e bares e o aumento das vendas online de supermercado. Além do alto consumo de produtos como salgadinhos e chocolates, o setor de supermercado teve uma alta de 233%

Já se formos analisar o comércio online de eletrônicos, o grande campeão de vendas foi o videogame, representando 315% de aumento. Os televisores também tiveram um aumento considerável em suas vendas com 191%.

Além disso, durante a quarentena, é possível identificar que as pessoas estão se exercitando em casa e, por isso, consumindo produtos dessa categoria. Equipamentos de yoga e pilates, por exemplo, tiveram um aumento de 387% na procura.

A análise foi feita em relação às vendas pelo e-commerce e leva em consideração os números de 80 países e de 2 bilhões de compradores mensais ativos de mais de 20 mil plataformas de e-commerce.

Comércio eletrônico no Brasil

A expectativa inicial para o ano de 2020, pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), para o varejo digital brasileiro, seria um aumento de 18%, representando um faturamento de 106 bilhões de reais no ano.

Acontece que a estimativa foi realizada antes do isolamento social em razão da pandemia do novo coronavírus. Sendo assim, com esse novo cenário, e com os dados já apresentados, o crescimento deve ser ainda maior.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais