Tudo Bahia
Portal de Notícias

Prorrogação do seguro-desemprego: proposta pode ser votada nesta sexta (30/10); entenda

De acordo com proposta do Ministério da Economia, os trabalhadores demitidos sem justa causa poderão receber até duas parcelas extras do seguro-desemprego! O texto do projeto, que pode ser votado nesta sexta (30/10), valerá para os que foram dispensados entre os dias 20 de março e 31 de julho de 2020. Por conseguinte, a prorrogação do seguro-desemprego visa amparar aqueles que ficaram desempregados durante a pandemia da COVID-19.

Acompanhe a matéria completa e fique por dentro de mais detalhes sobre o assunto. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site. Veiculamos as principais notícias nacionais e internacionais para você se manter constantemente informado!

Prorrogação do seguro-desemprego: medida deve atingir 2,76 milhões de brasileiros

Os trabalhadores demitidos atualmente recebem de três a cinco parcelas do benefício, dependendo do tempo de colaboração nas empresas. Com a prorrogação do seguro-desemprego, há a previsão de que 2,76 milhões de brasileiros garantam as cotas extras. Isso geraria um custo adicional de R$ 7,3 bilhões aos cofres públicos do país.

O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhado (Codefat) deverá analisar a proposta ainda nesta sexta-feira (30/10). Para virar medida provisória e ser encaminhada ao Congresso, serão necessários ao menos 10 votos favoráveis. A mesa do Codefat conta com:

  • Seis representantes dos trabalhadores;
  • Seis representantes patronais;
  • Seis conselheiros indicados pelo governo federal.

Inicialmente, o conselho havia sugerido a prorrogação do seguro-desemprego para seis milhões de pessoas, perfazendo um custo total de R$ 16,1 bilhões. A ideia, por outro lado, parece não ter sido bem recebida pelo Ministério da Economia.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais