Tudo Bahia
Portal de Notícias

Bolsa Família: como revogar o cancelamento do auxílio emergencial?

O Ministério da Cidadania informou que até 30 de novembro de 2020 estará recebendo pedidos de quem quer contestar Bolsa Família negado no auxílio emergencial residual. Os inscritos no programa de renda social que foram excluídos da extensão do benefício poderão recorrer.

A medida foi tomada após várias denúncias de desligamento terem sido enviadas quando as novas parcelas foram anunciadas. As solicitações devem ser feitas por meio do site da Dataprev, responsável pelos dados de cadastramento do auxílio.

Se você está nesse grupo de pessoas que foram prejudicadas, veja como contestar o Bolsa Família negado no auxílio emergencial.

Como contestar Bolsa Família negado

O programa de renda social divulgou que cerca de 2,8 milhões de pessoas foram retiradas da lista de beneficiários das parcelas de R$ 300. Segundo o governo, os cortes foram feitos para garantir que a folha de pagamento do projeto continuasse caminhando.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que não seria possível contemplar todos os cadastros aprovados nos primeiros lotes.

A reanálise é feita na base de dados dos cadastros. Por isso, antes de fazer a solicitação é preciso conferir se você se encaixa nas novas normas do auxílio emergencial. As regras de quem pode ou não receber as parcelas extras são regidas pela MP 1000/2020. Sendo assim, para contestar Bolsa Família negado no benefício residual é necessário:

  1. Acessar o site da Dataprev;
  2. Conferir se a documentação exigida está dentro do solicitado;
  3. Sinalizar o interesse na revisão.

Ao contestar Bolsa Família negado no auxílio emergencial residual, você pedirá ao Ministério da Cidadania que revise sua base de dados.

O procedimento é todo realizado de forma online. “Para realizar o pedido de contestação, não é necessário se dirigir a nenhuma agência da Caixa, lotérica ou posto de atendimento do Cadastro Único. As solicitações devem ser feitas exclusivamente pelo site”, explicou o Ministério.

Pagamentos do auxílio emergencial

A ampliação do benefício foi tomada no mês de setembro de 2020 por pressão nacional. Como a situação de emergência causada pela pandemia de coronavírus se manteve, o governo decidiu pagar outras quatro parcelas. No entanto, com o valor reduzido para R$ 300. Antes disso, o auxílio emergencial, que foi criado para ser pago em três parcelas de R$ 600, já havia sido prorrogado por mais duas cotas.

A Caixa Econômica Federal já começou a pagar a primeira leva dos R$ 300. Ainda há grupos de beneficiários para receber o auxílio emergencial em seu valor original. O dinheiro pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem e sacado em qualquer agência da Caixa. O pagamento da oitava parcela começa no próximo dia 17 de novembro e os calendários preveem depósitos até o dia 29 de dezembro de 2020.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais