Tudo Bahia
Portal de Notícias

Auxílio emergencial: Governo termina de pagar o Ciclo 4

Na última sexta-feira (20), o Governo Federal encerrou os pagamentos do auxílio emergencial referentes ao Ciclo 4. De acordo com o Ministério da Cidadania (MC), o investimento totalizou R$ 415,1 milhões para 633,8 mil brasileiros, somando as diferentes parcelas. Desse número, R$ 1,3 bilhão foram depositados para 3,4 milhões de nascidos em dezembro.

Os cadastrados que começaram a receber pelo programa de transferência de renda em abril, contaram com a segunda parcela de R$ 300. Teve também o pagamento da primeira residual para aqueles que receberam a primeira em maio. O restante dos beneficiários teve as respectivas cotas de R$ 600, dentro das cinco previstas.

Vale ressaltar que entre os depósitos ainda houve as parcelas duplas de R$ 600 no auxílio residual ou de R$ 1.200 no original para mães solteiras chefes de família. Segundo o calendário do benefício, outros dois ciclos serão pagos até dezembro de 2020. Já os saques em espécie estão previstos para até janeiro de 2021.

Fechamento do Ciclo 4

“Fechamos mais um ciclo de pagamentos deste que é o maior programa de transferência de renda da nossa história. Com uma operação bem sucedida e reconhecida internacionalmente conseguimos não só evitar que a pobreza no país chegasse a quase 30 milhões de pessoas, como reduzimos os índices para os níveis mais baixos em décadas”, destacou Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania.

Além dos mais de 400 milhões de reais para parcelas diversas, R$ 919,2 milhões foram pagos pela segunda parcela do auxílio emergencial residual. Esse valor foi depositado nas contas digitais de 2,8 milhões de pessoas. Em calendário próprio, 1,6 milhão de inscritos pelo Bolsa Família receberam a terceira parcela de R$ 300. Estes foram os beneficiários com o Número de Identificação Social (NIS) final 3.

Dessa forma, a folha de pagamento relativa ao Bolsa Família já chega a quase R$ 7 bilhões. A quantia vem parte do orçamento do programa social (R$ 2,73 bilhões) e o restante do previsto pelo Governo Federal para a extensão do auxílio emergencial (R$ 4,22 bilhões). É importante lembrar que os beneficiários com NIS final 0 (zero) ainda receberão o dinheiro na data de 30 de novembro de 2020.

Segundo as regras do auxílio emergencial residual, quem começou a receber as parcelas em abriu contará com cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300. Dessa forma, totalizando nove cotas. O número de recebimentos varia conforme a data de recebimento da primeira parcela. Logo, quem conseguiu os pagamentos a partir de agosto só contará com o benefício original.

Prorrogação do auxílio emergencial

Apesar de não haver confirmação de que os depósitos seguirão para 2021, a equipe econômica está estudando medidas legais para a extensão do benefício. Isso porque o auxílio emergencial está programado para finalizar em dezembro de 2020 e não há data para o lançamento do Renda Cidadã. Sendo assim, o ministro da Economia já afirmou que, caso haja uma nova onda de contaminações, é possível que a ajuda de custo seja retomada.

Várias propostas para prorrogação dos pagamentos estão surgindo. Tanto parlamentares quanto cidadãos estão montando projetos para que as parcelas continuem, uma vez que grande parte dos beneficiários ficará desamparada. No entanto, os cálculos estão chegando a mais de R$ 15 bilhões para parcelas de R$ 300 e técnicos se preocupam em estourar o teto de gastos. Até agora, o Governo Federal já investiu R$ 258,2 bilhões no programa e alcançou 67,8 milhões de cidadãos.

LEIA TAMBÉM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. AceitarLer mais